Nota de Repúdio contra indicação controversa à gestão do Ministério do Trabalho

A Confederação Nacional das Profissões Liberais – CNPL, vem a público expor seu total repúdio à política controversa do presidente Temer (PMDB) que credibiliza a liderança de um órgão responsável por regulamentar e fiscalizar as relações de trabalho à uma gestora que foi condenada justamente por infringir leis trabalhistas. A deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), indicada pelo presidente Temer para assumir a pasta do Trabalho, exibe um legado que contraria em todos os sentidos o papel de mediação que o Ministério do Trabalho possui.

A Cristiane Brasil foi condenada, em 2016, a pagar uma dívida trabalhista de R$ 60,4 mil a um motorista que prestava serviços para ela e para sua família, conforme decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT1). O Juiz Pedro Figueiredo Waib, que condenou em 1ª instância afirma que motorista de Cristiane Brasil trabalhava cerca de 15h por dia sem carteira assinada. É, no mínimo, estranho confiar em uma gestora pública que infringe leis trabalhistas e feri princípios da moralidade à frente de um ministério que deveria defender o direito dos trabalhadores.

A escolha de Cristiane Brasil vai ao encontro dos interesses de gestão do presidente Temer de aprofundar o total desrespeito à nação brasileira, por meio do retrocesso social e do massacre aos direitos dos trabalhadores. A aliada de Temer, também recebeu apoio do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun à sua indicação. Até onde vai o desrespeito com a classe trabalhadora diante da declaração de Carlos Marun de que a condenação de Cristiane Brasil nada interfere com o andamento da pasta do Trabalho?

Muito além de repudiar a política do presidente Michel Temer (PMDB), a CNPL reafirma não somente o compromisso de luta, união e força em defesa dos mais de 15 milhões de profissionais liberais em todo país, mas também com todos os trabalhadores do Brasil.

Confederação Nacional das Profissões Liberais – CNPL