05 de Setembro – Dia da Amazônia

A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo e abrange nove países: Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Suriname, Guiana e Guiana Francesa. O Brasil concentra a maior parte do bioma amazônico com aproximadamente 60% do seu território – 5.015.068 km2 – e abarca o equivalente a 58,9% do território brasileiro, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estando presente nos estados de Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso e Maranhão. A parte da floresta inserida no território brasileiro vem sendo degradada por garimpeiros, grileiros, madeireiras, hidrelétricas e parte do empresariado ligado ao agronegócio. Estima-se que aproximadamente 18% da Amazônia brasileira já tenha sido desmatada ilegalmente.

No período de julho de 2020 a julho de 2021 a Amazônia perdeu 4,64mil km2 de madeira, o que representa quase 03 vezes o tamanho da cidade de São Paulo, segundo levantamento publicado pela Rede Simex, ou seja, o desmatamento predatório poderá levar a Floresta Amazônica a um ponto irreversível, ou seja, quando as agressões provocadas pelo homem são tão impactantes no ambiente, que afetam diretamente a capacidade do ecossistema de se regenerar. Especialistas no tema possuem prognósticos de que se a Amazônia continuar a perder sua cobertura vegetal, passando deste ponto, o Bioma poderá se tornar uma savana degradada.

O desmatamento ilegal na Floresta Amazônica gera danos e efeitos que podem se tornar irreparáveis para o meio ambiente e para os seres humanos, como por exemplo:

  • perda da biodiversidade. A maior biodiversidade do planeta está na Amazônia e continua sendo pesquisada e catalogada. As espécies vegetais, ainda não catalogadas pelos pesquisadores, poderão vir a serem empregadas na produção de medicamentos, cosméticos etc.;
  • interfere no ciclo hidrológico ocasionando o esgotamento das fontes de água, já que a retirada da vegetação dificulta a absorção da água da chuva pelo subsolo e o consequente abastecimento das reservas subterrâneas e das nascentes;
  • os garimpos ilegais instalados na região amazônica, em áreas indígenas e de proteção ambiental, contaminam as águas dos rios com a utilização do mercúrio, metal pesado, para a extração do ouro, os peixes e consequentemente a população que vive nessa região. A Bacia Amazônica é a maior bacia hidrográfica do mundo, sendo dever constitucional do Estado brasileiro preservá-la;
  • diminuição das chuvas e o aumento da temperatura. O bioma Amazônico tem papel decisivo na regulação do clima e na distribuição de chuvas em toda a América do Sul. A redução das áreas de floresta faz com que mais carbono seja emitido para a atmosfera, contribuindo para o aquecimento global;
  • mudanças climáticas que estão influenciando na ocorrência, com maior frequência e intensidade, de eventos extremos em várias partes do planeta.

A floresta preservada gera um ciclo virtuoso, não só para a região Amazônica ou para o restante do Brasil, mas para o planeta, afinal estamos todos interligados. Não existem paredes na atmosfera. A Floresta Amazônica vale muito mais em pé do que desmatada e para tanto faz-se necessário o engajamento do Estado e de toda a sociedade para que ela seja preservada.

Neste 05 de setembro, mais de 30 artistas, através da música “Canção pra Amazônia”, pedem pela conservação do maior bioma brasileiro. Façamos coro com estes artistas em defesa deste patrimônio da humanidade. Em defesa da maior floresta tropical do planeta.

Viva a vida, viva a Amazônia, viva a vida no Planeta Terra!

Por Silvana Ribeiro